12 de fevereiro de 2007

Querem o nosso bem



Não resisto a transcrever parte de um artigo de opinião do Jornal de Notícias de hoje:

"A saúde pública é um domínio vasto que frequentemente entra nos caminhos da moral e dos costumes. Os queijos com alto teor de gordura serão perseguidos, da Serra da Estrela a São Jorge e ao Pico. Um dia haverá fiscais vigiando o teor de sal no bacalhau.

As casas de família irão, com o tempo, transformar-se em antros de pecado - aí podemos comer pastéis de massa tenra, pataniscas, "bacalao al pili pili" ou à lagareiro, feijoadas e compotas preparadas com açúcar em vez de adoçante (havendo até quem fume um charuto no final, mais perigoso do que uma "erva" simplória, muito bem admitida socialmente).

Um dia, mais tarde, os inspectores de saúde pública entrarão em nossa casa e desaprovarão as migas de bacalhau ou o feijão no forno. Na escola, os institutos da saúde perguntarão subtilmente às crianças se os pais têm por hábito comer fritos e barrar o pão com manteiga, essa substância perigosa.

Justificarão. Justificarão sempre. Querem o nosso bem."


Francisco José Viegas, Escritor

..........................................................
imagem em A vida é bela, http://www.avidaebela.com/gca/?id=116649,“site” por agora não criminalizado

2 comentários:

Joana Botelho disse...

Os inspectores podem entrar no meu hotel (que remédio) mas em minha casa é que não!!!! Já me basta a dieta da médica!

Anónimo disse...

Onde é a barricada?!

Osório Cabral