21 de janeiro de 2007

Liquidâmbar (1)

Quando este liquidambo foi plantado era uma coisa pequenina... De todos os que foram na altura colocados na terra, era o maior. E eu passei estes anos a vigiar-lhe o crescimento, mais do que aos outros. E pensava...
Já me dá pelo pescoço...
Já está da minha altura...
Ah! Já está acima da minha cabeça...
E ia segurando., primeiro a hastezinha, depois o troncozinho, com o prazer de o sentir cada vez mais forte.
Agora, vejam, a minha mão já não chega para lhe dar a volta.
E ....

3 comentários:

Eliane disse...

É um exercício maravilhoso esse de plantar e acompanhar o crescimento de uma (ou várias) árvore. Aqui na frente de casa, há uns 5 anos, plantamos um ficus. Pequenino e magricelo, hoje é uma árvore imensa de sombra farta.
Daqui a poucos minutos vou viajar. Sempre que me for possível encontrar um computador, mandarei notícias. Não vai ser tarefa fácil, já que vou estar em Florianópolis, numa praia pouco movimentada e que não tem nada além do essencial para quem precisa recuperar energias: mar, areia, sol, árvores, flores e frutos.
Até breve!!!

diogo disse...

O nome é LIQUIDAMBAR.

margarida disse...

Ai, eu...
Vou emendar todos.
Obrigada, Diogo