3 de junho de 2007

Linhas no céu.

Passam aqui muitos aviões a caminho ou à vinda do resto da Europa. Voam tão alto que não os ouvimos, mas deixam no ar uma linha que geralmente se esbate em pouco tempo. Quando passa o segundo, já não se nota a passagem do anterior.
Esta manhã, porém, os ares lá daquels altos altíssimos estavam tão calmos que as linhas brancas não despareciam. E o céu estava todo tracejado.
Isto é só um amostrazinha. Porque em 180º se viam traços.

3 comentários:

Manuel disse...

Tantas vezes me deixei ficar a admirar essas carreirinhas de fumo branco, que lentamente mudavam de forma.
Há uma saudade nesta recordação, o tempo agora passa demasiado rápido.
Abraço, Guida.

sofialisboa disse...

olá vejo que agora estas a escrever mais...ainda bem, espero uma historia engraçada bjs sofia

Mary Oliveira disse...

É, nota-se que estás tranquila e feliz, finalmente...! Que bom.
Beijinho